11.3.17

Tinha de ser minha filha

Mini-Tété é extremamente picuinhas com a limpeza de certas coisas. Na brincadeira, refiro muitas vezes que deve ter ali um pequeno transtorno obsessivo compulsivo, pois basta cair uma pequena gota de sopa no tabuleiro da cadeira da papa e é vê-la logo a dizer "Papei! Papei!", pedindo um lenço de papel para limpar a pequena nódoa. Da mesma forma que é menina para apanhar todos os bocadinhos de cotão e migalhas que encontrar para me vir dar ou, agora aprendeu esta, para ir colocar directamente no lixo. Também não gosta nada de ter as mãos sujas (já a cara pode estar coberta de uma concha de sopa que é a maior fita para a limpar), o que acaba por refrear bastante a descoberta de novos alimentos porque, mesmo com o nosso incentivo para que lhes toque e coma com as mãos, a esquisitinha toca-lhes com um dedo e encolhe-se enojada. Talvez por isso, lhe tenha dado o mês passado um garfo (próprio para crianças) para as mãos e até me ia caindo o queixo quando a vi espetar bocados de carne e a comer. Com as mãos nem lhes tocava (mas sai à mãe que nem em criança comia pizza ou frango com as mãos e pedia sempre talheres. E que não suporta descascar fruta madura pois o sumo da mesma escorre pelas mãos, blargh). Os biscoitos da Bledina em França desfazem-se muito mais facilmente que os vendidos em Portugal, pelo que as mãos ao fim de um segundo estão cheias de migalhas desfeitas. E embora a Mini-Tété adore os biscoitos, de 5 em 5 segundos é vê-la de mãozinha esticada a ver se alguém a limpa. Se isso não acontece, não há problema, limpa ela mesma a mão à camisola ou à roupa de quem estiver mais próxima (geralmente, eu). Mãos sujas é que não. Abre pequenas excepções para comer pão, queijo, banana...mas tenho a ideia de que se lhe desse talheres para as mãos, até o pão não comeria à mão. Esta semana, estava ela a tentar comer arroz à colher, com todo o espalhafato que isso provoca e arroz espalhado por ela abaixo (coisa que a estava a irritar imenso), quando nos lembrámos de ir buscar aqueles babetes de plástico/silicone que formam um recipiente onde pode cair a comida (e onde muitos bebés depois até lá vão buscar o que caiu). Pois, não resultou. Mini-Tété não entendeu o conceito e não descansou enquanto o babete não estivesse sempre impecavelmente limpo. Caía arroz? Tinha de o apanhar todo naquele momento, até ao último grão. Caía uma gota de sopa? Era vê-la logo a limpar com o lenço de papel. Pode empapar a cara e o cabelo de sopa, mas o babete nem pensar. Esse tem de estar limpinho.

2 comentários:

  1. Ahahah , nunca vi nenhuma criança assim.
    Tens aí uma bela aliada, sim senhora :p
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho é uma nojentinha, igual à mãe. :P

      Eliminar

Digam-me coisas. :)