30.1.13

O Bolo


Desde que me lembro de ser gente que tenho uma paixão imensa pelo bolo de chocolate da minha avó. Para mim, é o melhor bolo de chocolate do mundo. É fofinho, seco, nada de coberturas nem cremes. E eu, que não sou nada dada a cozinhar, fiz questão de aprender a cozinhar este. Lembro-me de o fazer sozinha, lembro-me de o fazer com o meu irmão, lembro-me de o fazer e levar para os diferentes sítios onde já trabalhei, lembro-me de o levar para as saídas de campo (e que belo mimo o bolo era após um dia a trabalhar ao sol ou à chuva). Enfim, é o bolo que me tem acompanhado. É verdade que às vezes corre melhor, outras vezes pior, mas fica sempre comestível e a saber bem. 
Ora, decidi este fim-de-semana que iria fazer o bolo cá em casa (dado que a minha única condição quanto ao forno que comprássemos era "deixa cá ver se há espaço para meter a forma do bolo"). Toca de comprar tudo o que era preciso. 

Bem, primeira dificuldade: não tinha nada. Nem taças para fazer a massa do bolo. Nem ingredientes. Nem batedeira. Nem forma. Nada. Lá fui comprando aos poucos e à medida que encontrava as coisas (o que não foi fácil, senhores, não foi. Muitas formas encontrei eu para tartes e afins, mas para bolos só formas pequeninas - e eu não sou uma mulher que faça bolos pequenos! Se é para fazer, então tem de ter um tamanho jeitoso). 
Segunda dificuldade: os ingredientes. Ao longo destes anos fui fiel às mesmas marcas de farinha, açúcar, chocolate. Não me lembro de ter alguma vez mudado a marca de algum deles. Ora aqui não há as mesmas marcas. Claro que isto tinha de trazer asneira.
Comecei a fazer o bolo e percebi logo que o chocolate não era o certo. Era mais escuro e consequentemente mais amargo. A farinha também não era a certa. Acabei o bolo, coloquei-o no forno, olhei por mim abaixo satisfeita por a tolice de ter estado a fazer um bolo de chocolate com uma camisola branca não ter resultado em nódoas. Passado um pouco regresso à cozinha e constato duas coisas:
1. Tinham pingado gotas de chocolate que eu tinha pisado com as minhas pantufas, o que resultava num chão de cozinha cheio de manchas de chocolate e um rasto até à sala.....
2. O bolo não crescia. Porquê? Porque a menina Tété está habituada a usar farinhas com fermento e a que comprou não tinha.

Resultado: um bolo achatado com um sabor a chocolate um bocado esquisito e uma consistência nada parecida com aquilo que eu queria. Não o consigo comer e nem tive coragem de o levar ao jantar que tínhamos hoje. Satisfeito está o meu rapaz que tem um bolo de chocolate só para ele.....

2 comentários:

  1. Compras num supermercado francês: um verdadeiro choque cultural! :)

    ResponderEliminar
  2. Terrível...mas hoje vou em busca de uma nova farinha! =P

    ResponderEliminar

Digam-me coisas. :)