15.8.15

Ponto por ponto

- O meu computador está novamente a embirrar comigo e o Jack anda de volta dele, com formatações e sei lá eu mais o quê (daí a minha maior ausência aqui, a demora no envio de e-mails e fotografias). Gosto muito deste meu computador que já conta com 6 aninhos de vida, mas verdade seja dita está a transformar-se num velho resmungão e teimoso, o que não me dá jeito nenhum (mas dá-me ainda menos jeito comprar um novo por isso há que continuar a tratá-lo com jeitinho e não o ofender muito para ele não amuar).

- A terceira e última ecografia da Pequena Abóbora já foi feita. Agora só a voltamos a ver em carne e osso e  acho que ainda não me mentalizei bem disto. Faltam cerca de dois meses, que se por um lado me parece muito tempo, por outro parece que está quase.

- Pelas estimativas feitas, vai sair dentro de mim uma bolinha de 3,5 - 3,6 Kg, caso fique cá dentro até às 41 semanas. Já em tamanho, não será muito comprida. Já está de cabeça para baixo, o que me deixou descansada depois de ter ouvido que aqui quando o bebé está sentado nem sempre se parte automaticamente para cesariana e que há médicos que tentam o parto na mesma. 

- A Pequena Abóbora teve direito a um nome há coisa de duas semanas. Foi um processo custoso e tenho de admitir que o nome escolhido nem estava na minha lista inicial de preferências. Mas acabou por ser um dos top 3 e por fim o finalista. É um nome português, comum, simples, e que não existe em nenhuma das duas famílias nem em amigas próximas, algo que nos agradou. Até agora família e a amigos também têm gostado e ainda não ouvimos nada que não gostássemos de ouvir. Gostei de termos decidido o nome pois acho que já estava a precisar. Não que andasse em stress (nada disso) mas assim já posso ir chamando a Pequena Abóbora pelo seu nome verdadeiro e ir-me habituando a ele, ir-me habituando que vou ter uma filha com este nome. Por aqui continuará a ser Pequena Abóbora. Depois, mais tarde, quem sabe, um dia decidirei tratá-la aqui pelo verdadeiro nome.

- Lá me decidi a começar a lavar a roupinha da Pequena Abóbora já que comecei a ler que depois dos 7 meses devia começar-se a ter a mala da maternidade pronta. Ora aqui a Maria Tété anda tão relaxada da vida que se apercebeu de repente que nem a roupa tinha lavada quando mais ter a mala já alinhavada. Mas continuo sem stresses. A gravidez tem sido calma, sem sinais de que a Pequena Abóbora vá querer sair mais cedo e, embora saiba que a qualquer momento pode acontecer o inesperado, verdade seja dita que então eu até prefiro que o pior que aconteça seja não ter as malas prontas.  Se gostava de ter tudo prontinho a tempo e horas? Gostava e vou fazer por isso. Mas se não tiver...olha, azar. :)

- Quase a fazer sete meses de gravidez, a Pequena Abóbora decidiu que eu andava demasiado bem para uma grávida e vai de me oferecer insónias, muito cansaço e falta de apetite. Também passei a parecer uma criança que quando diz que precisa de ir à casa-de-banho é porque precisa de ir exactamente-naquele-momento-não-aguento-nem-mais-um-minuto. Estou a tentar não levar isto como um ataque pessoal, mas não deixa de ser muito desconfortável estar muito bem na conversa, a ver televisão, a andar e de repente sentir uma pressão na bexiga como se já tivesse aflita há horas. Bem lhe digo para não repetir a gracinha mas ela não me liga nenhuma. Também entrei no mundo maravilhoso dos tornozelos inchados (e nem me quero queixar muito pois sempre tive grandes problemas de circulação e nem sei como me estava a aguentar até agora). As semanas sucessivas de muito calor não ajudam e embora tenha collants de compressão para grávida (que ajudam muito a quem sofre de má circulação como eu), a verdade é que são extremamente quentes e eu dou por mim basicamente a ter de escolher entre "não os usar  e acabar o dia com os tornozelos e os pés com o dobro do tamanho e com tantas dores que me vêm as lágrimas aos olhos" ou "usá-los e sentir-me mal de tanto calor pois tenho a sensação de ter as pernas envoltas em cobertores polares". Decisões, decisões....

- Na ecografia, confirmei que a Pequena Abóbora está exactamente na posição em que eu sentia que ela estava já que a malandra pensa ter espaço para praticar ioga e não raras são as vezes em que a sinto a esticar-se e algo a espetar-se contra a minha pele (e vê-se mesmo a barriga a ficar com um pequeno alto). Eu dizia que era o rabo, até porque depois sentia pontapés um pouco mais lado, e tinha razão. Portanto, Pequena Abóbora ainda não nasceu e já leva pequenas palmadas no rabo para ver se pára de se esticar e se volta para o seu T0 em vez de estar a ver até que ponto a minha pele é elástica.

- Da lista de coisas a comprar para receber esta bebé, está praticamente tudo. Falta a base para colocar o ovinho no carro, falta montar a cama de grades que será emprestada para vermos as medidas do colchão a comprar, faltam os produtos de farmácia uma vez que estava a ver se evitava comprá-los já e ter de os guardar numa casa que dificilmente fica abaixo dos 30ºC neste momento e....mais uma ou outra coisita. Sem stresses fomos comprando as coisas com a ideia que em meados de Setembro teríamos de já ter tudo. Afinal, cerca de um mês antes está tudo muito bem orientado e eu fico contente com isso. :)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Digam-me coisas. :)