2.9.15

As aulas

Ontem foi a última aula de preparação para o parto, Em relação àquilo que eu pensava serem estas aulas, tenho de admitir que ficou um bocadinho aquém das expectativas uma vez que grande parte da informação dada já eu a sabia, para além de sempre ter imaginado que nestas aulas eram também ensinados os primeiros passos básicos com um bebé (dar banho, mudar fraldas, etc), coisa que não aconteceu. As aulas de preparação para o parto são efectivamente aulas sobre o parto e nisso o nome não mente. 
Tivemos uma aula sobre cesariana, forceps, ventosa e afins. Outra sobre as diferentes etapas do trabalho de parto, quando não fazer força e quando não fazer. Outra sobre o início do trabalho de parto, quando ir para o hospital, o que são contracções, etc. Outra sobre os diferentes tipos de respiração a ter durante o trabalho de parto. Outra, só para mim, de relaxamento, em que era suposto fechar os olhos e visualizar o trabalho de parto (mas na qual eu estive mais concentrada em não adormecer ao som da voz calma que descrevia o que ia acontecendo). Outra sobre o que é feito ao recém-nascido após o nascimento (em termos de avaliação e testes). Outra sobre amamentação. E estão aqui a faltar-me algumas, até porque embora cada aula fosse um tema, muitos dos pontos eram comuns e cheguei a pensar que estávamos a ter uma aula repetida.
Nalgumas aulas o Jack foi o único homem presente, noutras teve companhia masculina. Fiquei com a sensação que para algumas grávidas era confuso verem ali alguns homens mas, após as aulas, mantenho a minha opinião: é importante os homens irem e perceberem tudo o que se vai passar no parto. Há homens que acham que à primeira contracção tem de se ir a correr para o hospital, há homens que acham que se as água rebentaram é porque a criança vai nascer nos cinco minutos seguintes, há homens que acham que a respiração que se vê nos filmes é a que deve ser usada o tempo todo, enfim, uma série de ideias de quem não passará pelo processo e que ficam ali esclarecidas.
A aula de ontem por exemplo foi a da amamentação, assunto esse que a mim me traz dúvidas, receios, e que para o Jack sempre foi apenas um bicho-de-sete-cabeças que eu própria estava a criar. No regresso a casa acabou por comentar espantado que foi a aula em que as mulheres mais participaram, com questões e dúvidas. Dizia-me ele "Nas aula em que se fala do parto, de cortes, de pele a rasgar, de contracções, de dores, de epidural, etc, vocês estão nas calmas e sem dúvidas. Fala-se de amamentação e as questões são imensas". Percebeu assim que não sou a única a quem a amamentação não é algo assim tão simples como pôr o bebé ao peito e "tudo correrá bem". 
A mim, embora houvesse muita coisa que eu já sabia, foi importante perceber que aqui em França as coisas se passam como nas informações que eu lia ou conhecia já de Portugal. Ou quais as coisas diferentes. Também gostei de aprender sobre os tipos de respiração. E depois é sempre útil saber factos como "desde que os bebés passaram a dormir de barriga para cima que os casos de morte súbita diminuíram 60%" para assim poder dizer aos familiares que insistem que no tempo deles os bebés dormiam de lado e que assim é que se deve fazer.
Ou seja, em termos de aprendizagem não digo que estas aulas me tenham servido de muito mas serviram como confirmação daquilo que eu sabia, o que me traz confiança e me levará a ir mais relaxada para o hospital quando chegar a hora de conhecer a Pequena Melão.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Digam-me coisas. :)