28.12.17

Balanço de 2017 - Parte I

Chegou a altura de rever os meus desejos e objectivos para este ano que, cheira-me, saíram quase todos ao lado. Não me lembro de todo do que escrevi por isso não deixa de ser giro ver o que me passava pela cabeça há exactamente um ano. Vamos isso:

1. Viver mais um ano da vida da Mini-Tété. Parece um plano parvo uma vez que sendo eu mãe a tempo inteiro, não há maneira da Mini-Tété viver nesta casa sem ser comigo. Mas para além de mãe, sou também responsável pela casa e por outras coisas que, se me descuido, me absorvem e quando dou por mim reparo que a Mini-Tété já aprendeu e viveu uma série de coisas sem que eu tivesse verdadeiro visto. Ela não vai ter 1 ano para sempre e eu quero gozar esta idade dela e não apenas estar aqui a tratar dela.
✅Feito. Não estive obviamente o tempo todo disponível para ela 24h por dia porque há efectivamente uma série de tarefas que tenho obrigatoriamente de fazer diariamente, mas gostei muito deste nosso ano. Gostei da rotina que criámos de manhã, dos passeios matinais para ir comprar pão, das idas ao parque quando estava bom tempo, da preguiça com que ficamos as duas na minha cama. Lá está, se calhar podia ter deixado de fazer algumas coisas para estar com ela, mas ainda assim sei que fiz o esforço de muitas vezes deixar tudo para trás e dedicar-lhe mais tempo para benefício dela e meu.

2. Arrumar a casa. A sério, não vivemos num apartamento muito grande e mesmo assim conseguimos transformá-lo facilmente num acampamento de ciganos que nos esconde papéis importantes, que nos faz gastar dinheiro em coisas que julgamos perdidas e que torna tudo mais difícil de limpar. Possivelmente terei de deixar a Mini-Tété de vez em quando com a minha sogra para ter tempo para esta grande arrumação que é de facto necessária, por isso é melhor ir-me fazendo à ideia.
✅ Feito. Ainda não está a casa dos meus sonhos, toda organizada e livre de tralha mas caminha para si. Destralhei bastantes coisas, dei uma organizadela importante aos papéis (a maravilha que é saber onde está tudo agora, ufa), re-organizei a cozinha de forma a ficar mais prática, e aos poucos vou conseguindo que seja mais fácil manter as coisas como estão.  E ajudou de facto ter a Mini-Tété a ir passar um dia de vez em quando com os avós para me poder concentrar e dedicar à arrumação.

3. Perder peso. Bom, este é o meu objectivo de todos os anos e, tal como um amigo de longa data, não me abandona na chegada de um novo ano. Mas começo este ano com menos expectativas do que nos outros anos e portanto com menos hipótese de frustração e desilusão. Há que assumir que o tempo agora é zero, seja para exercício, seja para perder tempo na cozinha, por isso não haverá mudanças radicais como "ir ao ginásio 5 dias por semana!" e "reduzir as calorias para metade". Farei pequenas mudanças compatíveis com a fase que agora atravesso e tenho alguma esperança que isso me permita ver a balança baixar, nem que seja de-va-ga-ri-nho. E também quero cuidar mais de mim. Fora o peso a perder, tenho de recuperar os antigos hábitos de me maquilhar mais frequentemente, de me desmaquilhar sempre, de tratar da pele, de usar os 1001 cremes que tenho e que foram abandonados sem dó nem piedade. Arranjarmo-nos aumenta logo a nossa auto-estima e isso é meio caminho andado para o dia correr melhor.
❌ Baaaaaaah. Como seria de esperar a coisa mantém-se. Minto. Quando regressei das férias de Verão, decidi aproveitar a alimentação mais saudável que tinha tido e cortei bastante com o açúcar. Só com isso foram-se 7 quilos, sendo que entretanto tive uns stresses e já recuperei 2 (o chocolate anima-me tanto, senhores. E as massas. E as batatas fritas). Uma tristeza. Mas ando com vontade de voltar a essas mudanças depois da passagem de ano. Até porque em 2018 tenho o baptizado da Mini-Tété e não quero ser confundida com o altar da igreja. Aliado à perda de peso, também me comecei a arranjar mais, a maquilhar-me mais frequentemente (há coisa de um mês descobri o poder de um bronzer ligeiramente e estrategicamente colocado para parecer logo menos "branca mais branca não há", estou fã) por isso neste ponto estou contente. Em Janeiro já tenho programado um bom corte de cabelo que qualquer dia acham que fiz a promessa de o deixar crescer até ao rabo.

4. Ser mais organizada! Preciso de aprender a organizar o meu tempo já que não tenho muito e sinto que o desperdiço de forma muito estúpida, acabando por ficar sem tempo para nada. 
❌ Aprendi a alterar algumas coisas que me têm ajudado a ganhar tempo, mas sinto que ainda preciso de aprender a organizar-me muito melhor.

5. Priorizar. Aceitar que tomar conta de uma criança de 1 ano, de uma casa e de toda a logística de uma vida a dois não é possível fazendo tudo correctamente. Mini-Tété é a prioridade de sempre mas a casa (depois da grande arrumação) terá de o ser um pouco menos. Não faz qualquer sentido estar a lavar louça às 3h00 da manhã como tantas vezes fiz nos últimos meses.
✅ Acho que neste ponto consegui alcançar o objectivo. O facto de termos comprado outra máquina de lavar a louça depois da nossa ter avariado ajudou certamente. :D

6. Ter mais força de vontade. Como 2016 foi um ano muito cansativo, sinto que perdi as forças para combater quando as coisas são difíceis. Estou cansada e ao primeiro obstáculo vejo-me a atirar a toalha ao chão pois não me quero chatear, perder tempo e gastar energia. Mas isto não dá jeito nenhum e atrasa-me a vida.
✅ Acho que tive mais força de vontade, mesmo não tendo sido um ano assim tão fácil como eu gostaria.

7. Ser a melhor mãe que consigo ser. O que às vezes não é grande coisa, mas faço o melhor que sei. Mini-Tété parece-me uma bebé feliz, amada e saudável e é por isso que vou continuar a lutar. Ela merece. E no geral até acho que não me safo muito mal nesta coisa de ser mãe.
✅ Feito. Não sou de facto a melhor mãe do mundo, cometo erros atrás de erros, mas caramba adoro esta miúda e faço o melhor que posso e sei. E com isto consigo ter uma criança saudável, sorridente e, quero acreditar, feliz. E ela sabe que eu gosto dela, o que me aquece o coração.

8. Escrever mais no blogue. Vocês não imaginam as saudades que eu tenho de aqui escrever com mais frequência. Adoro este meu cantinho e sinto-o tão abandonado. Mas primeiro tenho de resolver o ponto 2 e aprender o ponto 4, para assim conseguir ter tempo para aqui escrevinhar.
❌ Baaaaah. Pobre blogue abandonado. Eu bem queria. Mas de facto não consigo e não pode ser uma prioridade da minha vida neste momento. Mas continuo mais activa no Facebook, passem por lá.

9. Manter os amigos. Se namorar à distância não é fácil, manter amizades à distância não lhe fica atrás. Não é fácil para quem emigra mas também imagino que não seja fácil para quem fica, que não compreende que a vida de emigrante não permite visitas frequentes e que as férias não podem ser gastas a visitar tooooooda a gente com quem queremos estar porque assim não descansamos nada. Fazer o esforço de estar presente, mesmo que à distância.
✅ Neste momento ando um bocadinho calada (acho que estou numa fase de introspecção e de análise) mas fiz o esforço de ir mantendo o contacto, aproveitei as férias para as visitas, fiz o melhor que conseguia. 

10. Dormir mais. Este é um desejo meu e do Jack. A Mini-Tété dá-nos noites maravilhosas que não aproveitamos porque depois de ela ir para a cama aproveitamos sempre para tratar de assuntos pela noite dentro. Temos de priorizar e perceber que o sono é mais importante que algumas coisas. Este ano foi uma grande chamada de atenção para este ponto e seremos burros se não tivermos aprendido a lição.
✅ Uma pessoa escreve isto e o que é que acontece semanas depois, o que é? Mini-Tété entra numa fase terrível em que andou a dormir bem pior durante 3 meses. Vá lá que depois passou-lhe e agora continua quase o mesmo anjinho de sempre (vamos ignorar que ontem só adormeceu às 2h da manhã, sim?). Ainda assim, acho que globalmente dormi mais e melhor em 2017 do que em 2016. E só espero que em 2018 seja melhor ainda.

11. Respirar fundo. Tenho perfeita noção que o cansaço acumulado, a frustração por não conseguir alcançar alguns objectivos e o pouco tempo para mim me tornaram um pouco mais azeda nestes últimos meses. Não me sentia bem comigo mesma, estava farta de me aturar a mim mesma e não me reconhecia. Em Dezembro disse "basta!" e lentamente estou a sentir-me mais normal. Não me vale de nada ficar ácida se não faço nada para mudar as coisas.
✅ Acho que em termos de "acidez" voltei mais ao normal mas ainda existe outra mudança que preciso de fazer em 2018 porque não atingi o ponto de equilíbrio necessário. Ainda assim, estou bem melhor que no final de 2016, isso sem dúvida, porque estava mesmo intragável.

12. Fazer o álbum de fotografias do 1° ano de vida da Mini-Tété. Ao longo destes 12 meses fui imprimindo fotografias e comprei o álbum. Agora ando há mais de 2 meses a arrastar-me para o preencher. E também tenho de escrever uma carta à Mini-Tété. Tenho um caderno onde decidi que escreveria cartas à Mini-Tété, que ela poderá ler quando for mais velha, quando já tiver saído debaixo da asa da mãe, quando tiver os seus próprios filhos. Não sabemos o dia de amanhã e eu quero que ela saiba o quanto a amo com todo o meu coração, que fique com um registo da sua infância, da sua chegada a este mundo. Não estipulei uma obrigatoriedade cronológica (todos os meses ou em cada aniversário, por exemplo) mas chateia-me já ter passado um ano e não ter escrito nenhuma.
✅ Feeeeeito! E agora vamos ignorar que a pequena já fez 2 anos há quase 3 meses e ainda nem comecei o álbum do segundo ano de vida dela, sim? E sim, comecei a escrever no caderno. Comecei este mês mas comecei, por isso conta.

Epá, afinal isto até correu melhor do que eu pensava. :D

Sem comentários:

Publicar um comentário

Digam-me coisas. :)