31.12.17

12 Desejos para 2018


Vamos lá então à nova lista para o novo ano.

1. Mudar de casa.
Há coisa de um mês, o Jack teve ali um momento de fé e declarou que lá para a Março teríamos a casa nova pronta (hoje andaram a colocar os tectos falsos, yeah). Eu, pessoa com os pés mais assentes no chão, apontei para Maio. Agora se ficar pronta antes do Verão já me dou por satisfeita. Se ficar pronta antes do final do ano, fico agradecida que eu quero é acabar as obras, mudar-me e esquecer-me que um dia embarquei nesta aventura de comprar um celeiro e fazer dele uma casa. Não se ponham nestas coisas, a sério, isto rouba-nos anos de vida. E pode mesmo vir a acabar em homicídio se o Jack continuar a falar de "agora na próxima, fazemos uma casa de raiz!".

2. Baptizar a Mini-Tété
A não ser que aconteça algum imprevisto, o baptizado acontecerá em Maio, já está tudo marcado com a igreja. Os padrinhos estão convidados e só não fiz ainda os convites em papel porque ainda não vi se o restaurante para o almoço tem vaga nesse dia.

3. Mini-Tété vai entrar na escola.
Se tudo correr bem, em Setembro de 2018 a Mini-Tété vai entrar no infantário, prestes a fazer os seus 3 aninhos. Espero que nada corra mal nas burocracias francesas e que me seja permitido colocá-la no infantário mais perto da futura casa, mesmo que ainda não estejamos lá a morar.

4. Que ela goste da escola.
Eu não estou preparada. Ela não está preparada. E provavelmente nenhuma de nós estará quando chegarmos a Setembro. Vai haver um choque, vai haver uma adaptação, vão existir lágrimas, vai custar, mas tudo isto me parece tão natural como ela entrar na escola com esta idade. Faz parte. E eu espero que ultrapassada a primeira fase que ela goste da escola. E rezo a todos os santinhos que tenha a sorte de ter uma boa educadora, que tenha paciência e calma, que a faça sentir-se bem. 

5. Perder peso
Se este objectivo não estivesse aqui até seria de estranhar (vamos sonhar com o dia em que não precisarei de o escrever porque efectivamente emagreci o necessário :D ). Vamos lá ver se é este ano (escreve ela enquanto deita o olho aos chocolates que estão em cima da mesa...Sou uma fraca).

6. Destralhar
Eu sei que vou aproveitar as mudanças para me livrar de várias coisas que para aqui andam, mas também para me facilitar o processo das mudanças (em que também não estarei assim tão livre quanto isso para andar a triar tudo), prefiro ir-me desfazendo de coisas antes e aos poucos. Esta parte até está a correr bem, não fosse eu sentir que por cada 5 coisas que eu me livro, entram outras 15 pela porta. 

7. Arranjar um emprego
Com a entrada da Mini-Tété na escola, acaba-se o meu papel de mãe a tempo inteiro e gostava de voltar à vida profissional.

8. Fazer mais saídas a dois
Estes anos têm sido muito duros para nós. Temos tido tantos problemas à nossa volta, tantos stresses, que estamos ambos a precisar de respirar fundo e dedicarmo-nos um ao outro. Dizem que ter um filho pode abalar um pouco uma relação, dizem que construir uma casa pode abalar uma relação, e nós decidimos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Estamos aqui de pedra e cal mas precisamos de um pouco de oxigénio. E como neste Natal nos ofereceram daqueles pacotes com estadia durante uma noite ou um jantar num restaurante diferente, temos mesmo de os aproveitar.

9. Que tenhamos todos saúde
Que os meus avós vivam mais um ano cheio de saúde. Que a Mini-Tété se mantenha a criança saudável que é e que eu, o Jack e a restante família tenhamos saúde para presenciar isso. E eu sei que a entrada da Mini-Tété na escola vai fazê-la travar conhecimento com uma série de bactérias e vírus que até agora lhe são desconhecidos, mas se forem coisas simples que um tratamento resolva, por mim tudo bem.

10. Aproveitar bem este nosso último ano em casa.
Já o tinha dito o ano passado e volto a dizer este ano. A Mini-Tété nunca mais terá 2 anos, eu não sei se terei mais filhos (e mesmo que tenha, a idade da Mini-Tété não volta atrás), por isso quero continuar a tentar aproveitar bem cada dia que tenho com ela. Há dias melhores, há dias piores, mas espero que este ano nos traga boas memórias às duas.

11. Aprender a fazer novos pratos
Gostava de aprender a cozinhar coisas diferentes, nada de muito elaborado já que temos gostos simples, mas a verdade é que sinto que acabamos por repetir muito o que comemos. O Jack não se queixa (ahah, era o que faltava já que deixa que me calhe a mim a tarefa de cozinhar a maior parte das vezes. Mudando de casa e tendo-o mais cedo em casa todos os dias e vamos lá ver se isto também não muda...) mas às vezes sinto falta de inspiração. Há quase 2 anos comprei um robot de cozinha e embora não o use todos os dias (nem tenha necessidade disso, não me faz sentido fazer massa ou arroz simples num robot), a verdade é que também o uso menos do que gostaria. Nos últimos meses tenho-o usado mais e assim quero continuar (já que não deixou de ser um investimento e porque de facto me ajuda a fazer pratos que não faço numa panela pelo trabalho que me dá fazê-lo desta forma mais tradicional).

12. Focar-me.
Os anos passam, temos novas vivências, algumas boas, outras más, lidamos com coisas novas, alguns stresses, alguns imprevistos, e com tudo isto crescemos. E no meio de tudo isto eu acho que não sei muito bem que tipo de adulta sou. Não estando completamente perdida, acho também que não estou assim tão focada e com certezas como eu gosto.

Bom ano a todos!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Digam-me coisas. :)