16.12.17

Bebés e o sono #2


Estava para aqui sem saber muito bem como começar este segundo post, quando olhei para o sofá e vi-me uma mim, ao Jack e à Mini-Tété, numa imagem mental, ele com ela ao colo e eu de secador na mão, às 3h da manhã. E lembrei-me de vos falar dos white noise.
Estes white noise são barulhos que de alguma forma recriam os barulhos constantes que os bebés ouvem quando estão na barriga das mães. Agora até existem brinquedos que reproduzem "o som do útero", o bater de um coração, e há até diversas aplicações nos telemóveis com diferentes barulhos destes. Aqui por casa não usámos nada disto e resolvemos a coisa com o barulho do secador (que por acaso o Jack acabou por gravar no telemóvel caso fosse necessário), mas há bebés que gostam do som do aspirador, do som da máquina de lavar a funcionar, é uma questão de experimentarem. Connosco o secador resultou muito bem em duas situações. A primeira para vestir a Mini-Tété depois do banho uma vez que desde o primeiro dia que vestir mangas à Mini-Tété era quase como queimá-la com um ferro quente. Até tarde odiou vestir mangas e, nos primeiros meses, qualquer manga que fosse preciso vestir implicava um choro vindo do coração como se a estivéssemos a torturar. Ora, tendo a pequena atravessado um Inverno de vários meses, com várias camadas de roupa e muitas mangas, o processo de a vestir era um terror. Assim, enquanto o Jack a tirava do banho, eu ligava logo o secador que ficava pousado no chão, a fazer o barulho característico que acalmava e hipnotizava a nossa filha, permitindo que a vestíssemos sem qualquer berreiro. Um beijinho ao senhor que inventou o secador! 

A segunda situação em que o usámos, e chegou a estar constantemente ligado à tomada na sala para ser usado sempre que fosse preciso, foi naquelas noites em que se via que a nossa pequenina estava cheia de sono mas o cansaço não permitia que ela dormisse, resultando num choro de exaustão. Ora, adormecer um bebé nem sempre é fácil, adormecer um bebé que chora desalmadamente é quase um caso perdido. Não vale muita pena estar ali a embalar o bebé e a pedir que ele durma quando ele está histérico. Primeiro é preciso acalmá-lo e com a Mini-Tété o secador funcionava perfeitamente, fazendo com que ela parasse de chorar e estivesse mais disposta a perceber que estava ao colo dos pais, que estava em segurança, que não havia barulhos nem luzes assustadoras e que podia adormecer. No fundo, é esta a minha dica: se têm um bebé a chorar desalmadamente enquanto o tentam adormecer, parem. Acalmem-no primeiro (com recurso aos white noise, por exemplo) e adormeçam-no depois.

Na verdade, é até conhecida uma técnica que ajuda a acalmar os bebés e à qual se dá o nome de "5 S":
- Swaddling: embrulhar o bebé numa manta, reproduzindo a forma contida em que se encontram no útero. Oh, quantas vezes não adormeci assim a Mini-Tété nas primeiras semanas. Até lhe chamava Pequeno Sushi por a ver assim embrulhadinha. Depois deixou de gostar de se sentir assim presa numa manta, mas antes disso havia vezes em que bastava embrulhá-la para que parasse de chorar.
- Side: colocar o bebé ao colo, de lado, virado para si.
- Shushing: é fazer o barulho "Shhhhh", de forma a que o bebé oiça. Se ele estiver a chorar, têm de fazer alto de forma a que esse barulho calmante se sobreponha aos próprios gritos. Este "Shhhh" é um white noise, ou seja, podem substitui-lo por um secador ou por outro som usado em aplicações.
- Swinging: Embalar suavemente. Há quem use as bolas de pilates para não andar de pé de um lado para o outro.
- Sucção: mama ou chupeta.
Experimentem. Mal não faz. :)

A minha segunda dica fez-me procurar os vídeos que tenho da Mini-Tété, recostada no sofá, a palrar alegremente às 3h da manhã, quando tinha 4 meses. São vídeos fofos, ela está com um sorriso de orelha a orelha enquanto palra e ouve-se a minha voz a perguntar-lhe se não quer ir dormir visto serem as horas que são. Foi nesta altura que eu aprendi que o sono dos bebés passa por fases: há uma primeira fase em que eles mostram que têm sono através de leves sinais (no caso da Mini-Tété era mexer numa orelha, mas pode ser coçar a cabeça, esfregar um olho, bocejar uma ou outra vez, por exemplo), depois se não forem adormecidos entram num momento de aparente grande energia que faz os pais pensarem que o bebé não tem sono, ficando assim à espera que este chegue. O problema é que quando finamente chega, vem acompanhado de muito choro porque o bebé está exausto, quer dormir e devido ao estado de cansaço não consegue (a mim acontece-me o mesmo, estar tão cansada que tenho dificuldade em adormecer). Era isto que se passava com a Mini-Tété, que palrava divertida até às 4h ou 5h da manhã, altura em que desatava num berreiro sem igual, em que se recusava a adormecer, em completa histeria, levando-me a mim e ao Jack à loucura e à busca de soluções. Aprender a reconhecer os primeiros sinais de sono foi uma delas, e quando passámos a deitar a Mini-Tété mal ela começava a coçar uma orelha, o adormecer passou a ser pacífico, sem choros e rápido, pois ela estava com sono mas não exausta. 

Ainda assim, a Mini-Tété tinha sono (e adormecia) mais tarde do que aquilo que desejávamos pelo que foi necessário aplicar outro truque. Mas dele falo-vos num próximo post. :)



Sem comentários:

Publicar um comentário

Digam-me coisas. :)